sexta-feira, 15 de abril de 2011

No Brasil, a vítima tem o caixão e bandido proteção!

Avança a criminalidade em todo o Brasil e isto vai ficando muito parecido com uma guerra sem quartel. Nenhum dos congressistas e legisladores fazem leis mais severas, duras e com suporte para verdadeiramente punirem os culpados.
No fundo, os culpados não são os criminosos, mas os que fazem as leis. Leis que protegem os criminosos, mas não protegem os cidadãos honestos. O Brasil está cada dia virando de cabeça para baixo. Tudo está às avessas e nós, cidadãos, nada podemos fazer, porque quem realmente pode não o faz. Nosso País vai ficando parecido com a Alemanha nazista dos anos trinta do século passado.
O bandido tem a proteção; a vítima tem o caixão. E nada se faz. E ainda tem gente que bate no peito e diz: “amo o meu País, chamado Brasil”. Ora, ama enquanto não for a vítima. Mas, acredito que mesmo quem é roubado e assassinado ainda deve amar o Brasil. Eu não amaria. Até amo, enquanto não for assassinado. Depois de morto voltarei para assombrar meu assassino. É a única forma de mostrar que ainda existe a desforra, porque no Brasil inteiro parece que as pessoas gostam de serem assassinadas, já que não voltam para assombrar seus carrascos. E é exatamente por isso que a criminalidade avança a olhos vistos.
Nós nascemos honestos e com lições cristãs, somos as vítimas dos criminosos que nascem maus e vão morrer demônios levando a gente de roldão. É o fim da picada, ou do país?
A criminalidade, quando instalada num país democrático, vai aos poucos modificando as liberdades pessoais, a vida vai ficando perigosa e tudo começa a se modificar, desde os nossos direitos adquiridos, quando nós começamos a sentir que tais direitos estão indo para o brejo.
Foi assim na Alemanha nazista dos anos trinta; foi assim na Rússia em 1910 a 1917 com a instalação do comunismo vermelho. Normalmente é o próprio povo que assume as supostas novidades políticas. Apaixonado pelos discursos eloqüentes e repletos de promessas de uma individualidade, que traz consigo uma característica física chamando a atenção e o povo acaba perdendo o uso da razão e se emociona numa índole caprichosa e desequilibrada.
Aqui em nosso País está crescendo dia a dia, mês a mês e ano a ano. Tudo devagar, mas crescendo. São assassinatos cruéis. Estupros absurdos. Crimes hediondos sem leis que possam castigar! O Brasil está se acostumando com a terrível criminalidade e não temos leis, nem homens corajosos que façam leis mais sofisticadas e duras. Tais como prisão perpétua e pena de morte!
O que resta saber é se essa criminalidade “democrática” é ou não é uma preparação para uma grande revolução como ocorreu na Rússia em 1917. Afinal temos no poder um partido político de bandeira vermelha, que até agora tem sido carismático, mas possui uma gama enorme de pessoas que são vidradas no poder que o partido, através de Lula, conquistou.
Esperamos que realmente tudo seja como foi o Lula, entregando o cargo democraticamente. Mas, que vivemos num lugar perigoso como se estivéssemos num mato sem cachorro isto é a pura verdade. A morte cavalga para nós, os desamparados, vítimas de leis fajutas produzidas apenas para a proteção do criminoso.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Modelo de AÇÃO ANULATÓRIA DE ATO ADMINISTRATIVO - Gratis

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DE UMA DAS MM. VARAS CÍVEIS DA COMARCA DE TAUBATÉ – S.P..






          R., brasileiro, solteiro, desempregado, portador da cédula de identidade RG nº ..., filho de L. e A., residente e domiciliado em Taubaté, São Paulo, na rua ..., assistido pela Procuradoria de Assistência Judiciária Cível de Taubaté da Procuradoria Geral do Estado, por intermédio do Procurador do Estado infra-assinado, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, com fundamento no artigo 282 e seguintes do Código de Processo Civil, propor

AÇÃO ANULATÓRIA DE ATO ADMINISTRATIVO,

com pedido de tutela antecipada liminarmente, pelo rito ordinário, em face da FAZENDA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO, sediada na Capital do Estado, na avenida São Luiz nº 99, 4º andar, Centro, CEP.: 01046-905, na pessoa de seu representante legal, pelos motivos de fato e de direito abaixo aduzidos.

DOS FATOS.

O Autor desempenhou serviços de reparos mecânicos em automóveis para o Estado, ocupando cargo público de Oficial de Serviços e Manutenção, junto ao Departamento de Estradas e Rodagem, da Secretaria dos Transportes do Estado de São Paulo, ... do QDER, escala de vencimentos nível ..., faixa ..., nível ..., classificado junto à U.A. ... – Setor de Veículos, da Seção de Oficina Regional, do Serviço de Equipamento e Patrimônio, da Divisão Regional de Taubaté – DR-6.

No início do vínculo estatutário o referido servidor prestava condignamente seu mister, com desenvoltura e habilidade de um ótimo profissional.

Mas com o passar do tempo, a chefia imediata constatou decréscimo produtivo, e, inicialmente, não vislumbrou outra alternativa a não ser a via punitiva para emendar o funcionário, cada vez mais relapso.

R., olheirento, quando comparecia ao trabalho, atrasava-se em demasia. Executava as mais simples tarefas com extrema dificuldade, estafando-se em poucos minutos na lida. Sua aparência não agradava - emagreceu sobejamente , e manifestava pouca sociabilidade. Seus olhos fundos, injetados, revelavam pecados notívagos...

Continua...

Modelo completo grátis, solicite via e-mail: modelosdeacao@hotmail.com.